ALERTA: Chuva excessiva, raios, granizo e vendavais para o Rio Grande do Sul nos próximos dias

MetSul Meteorologia
Slider

Chuva excessiva a localmente extrema com fortes temporais deve ser esperada no Rio Grande do Sul em razão da atuação de uma frente quente que começará a se formar sobre o estado gaúcho nesta segunda-feira. Os acumulados de precipitação em alguns municípios podem ficar entre 100% e 200% da média histórica de setembro inteiro em menos de 72 horas e é elevado o risco de inundações, cheias de rios e ainda de tempo severo com granizo de variado tamanho e vendavais.

O que vai acontecer? Ar muito quente avança pelo Nordeste da Argentina e o Paraguai em direção ao Rio Grande do Sul e vai encontrar uma massa de ar mais frio que cobre no momento parte do Estado. Ao avançar sobre o ar mais frio, a massa de ar por demais quente deve organizar uma frente quente. Frentes quentes, neste tipo de situação, costumam trazer chuva torrencial com elevados volumes em curto período, muito granizo (não raro médio a grande), e ainda quantidade enorme de raios.

Você possivelmente ouvirá em espaços de previsão do tempo de muitos meios de comunicação que a instabilidade da segunda e da terça será resultado de uma frente fria, uma vez que raramente o termo frente quente é usado no Brasil, apesar de ser comum em Meteorologia e de uso recorrente ao redor do mundo. Ocorre que o sistema atuante no estado gaúcho em nada terá de frente fria no momento inicial da instabilidade, na segunda e na terça. Frente fria vai atuar no Rio Grande do Sul apenas de quarta para quinta.

Veja o caso de Porto Alegre. A temperatura no nível de pressão de 850 hPa (1.500 metros de altitude) será de 7ºC na madrugada desta segunda-feira antes da chegada da frente quente com chuva forte e raios. Na madrugada da terça estará em 11ºC e no começo da quarta em 23ºC. Ou seja, a temperatura vai subir 16ºC a 1.500 metros de altitude, o que com a umidade favorecerá muitos raios, granizo e chuva forte. Somente no decorrer da quarta é que uma frente fria vai passar pela área de Porto Alegre ao avançar pelo Rio Grande do Sul. Por isso, a temperatura em 850 hPa (1.500 metros de altitude) na madrugada da quarta estará em 23ºC e no final do dia 13ºC.

CHUVA FORTE E TEMPORAIS COM FRENTE QUENTE ENTRE SEGUNDA E TERÇA-FEIRA

O ingresso do ar tropical já traz pancadas de chuva isoladas na primeira metade da segunda no interior gaúcho, mas da tarde para a noite se organiza uma linha de instabilidade com chuva e temporais de raios e granizo que se desloca de Noroeste para Sudeste. A instabilidade mais forte pode alcançar a área de Porto Alegre na noite da segunda.

Entre a madrugada e a manhã da terça a frente quente ganha muita força sobre o Rio Grande do Sul com chuva forte a muito intensa em diversas localidades, granizo de variado tamanho, muitos raios e rajadas de vento localmente fortes a intensas. As pancadas de chuva serão torrenciais com altos volumes em curto intervalo em muitas cidades. Haverá pontos com chuva de 30 mm a 50 mm em apenas uma hora e acumulados de 100 mm a 150 mm em menos de seis horas.

O pior cenário de instabilidade é esperado em parte do Oeste e do Centro gaúcho, no Sul e no Leste do Estado, o que inclui Porto Alegre e região metropolitana. Cidades como Livramento, São Gabriel, Pelotas, Camaquã e a região metropolitana podem ter acumulados muito altos de precipitação durante a terça. O Uruguai também terá chuva intensa e temporais em diversos departamentos do país.

Entre a tarde e a noite da terça a instabilidade deve prosseguir nestas regiões, mas como a frente começa a recuar para o Sul, algumas áreas podem ter momentos de melhoria com muito abafamento e umidade enorme sobre superfícies como paredes, pisos e azulejos. No Norte e no Noroeste do Estado, onde a terça tem sol e nuvens com forte calor e máximas até ao redor de 35ºC ou superiores, o forte calor pode gerar chuva e temporais isolados na segunda metade do dia.

FRENTE FRIA MANTERÁ O RISCO DE TEMPORAIS NA QUARTA

A frente quente se converte em frente fria na quarta-feira. O sistema frontal deixa de ter o seu movimento determinado por ar quente e passa a avançar impulsionado por ar frio. Por isso, a instabilidade que de segunda para terça avançou de Norte para Sul na quarta vai se deslocar de Sul para Norte, uma vez que será movimentada por uma massa de ar frio impulsionada por um ciclone na área do Rio da Prata.

A frente fria traz chuva forte e temporais no Oeste e no Sul gaúcho desde cedo na quarta e no decorrer da quarta avança para as demais regiões gaúchas com precipitações localmente fortes a torrenciais e alto risco de tempestades. Os volumes de chuva tendem a diminuir à medida que a frente fria avança pelo Rio Grande do Sul. Um risco, como ar muito quente precederá a frente e com baixa pressão atmosférica, será a possibilidade de tempo severo com vendavais isolados (mesmo risco de microexplosões e risco marginal de tornados) assim como de granizo.

CHUVA EXCESSIVA

A atuação primeiro da frente quente e depois da frente fria resultará em chuva excessiva em parte do Rio Grande do Sul com acumulados em algumas áreas que devem atingir entre segunda e quarta-feira 100% a 200% da média de precipitação do mês de setembro inteiro.

A maior parte dos modelos indica que a chuva mais intensa e volumosa entre a tarde e noite desta segunda e a quarta-feira se concentraria em parte do Oeste e do Centro, no Sul e no Leste do Rio Grande do Sul. Porto Alegre e região metropolitana estão na zona de risco de chuva muito volumosa.

O mapa acima mostra a projeção de chuva para esta semana do modelo meteorológico Icon, do serviço de Meteorologia da Alemanha, e que está disponível ao assinante na seção de mapas com quatro atualizações diárias. Observe-se como o modelo indica uma faixa de chuva muito volumosa com registros locais de 100 mm a 200 mm, mas que, isoladamente, podem ser superiores. Veja como a aparência desta faixa de chuva excessiva tem um formato quase de “U” que é o desenho típico de frente quente.

O cenário de chuva sugerido pelos modelos faz com que a MetSul alerte para o risco muito alto de alagamentos e inundações em áreas urbanas e rurais nas regiões que terão os maiores acumulados de precipitação. Chuva muito volumosa em curto período pode trazer ainda transbordamento de arroios e córregos. Alguns rios do Centro, do Sul e do Leste do Estado devem subir rapidamente e cheias não são descartadas.

ALTO RISCO DE TEMPO SEVERO COM GRANIZO E VENDAVAIS

A MetSul enfatiza que a massa de ar quente que avançará pelo Nordeste da Argentina, o Paraguai, Oeste de Santa Catarina e do Paraná, e chegará ao Oeste e à Metade Norte do Rio Grande do Sul é muito intensa. Modelos projetam na terça e no começo da quarta temperatura ao nível de 850 hPa (1.500 metros de altitude) de até 24ºC no Noroeste gaúcho e acima de 25ºC no Paraguai.

Sob este cenário, pontos do território paraguaio devem ter mais de 40ºC na terça e do Noroeste gaúcho de 33ºC a 35ºC enquanto na maior parte do Rio Grande do Sul a frente quente estará trazendo chuva forte e tempestades com marcas abaixo de 20ºC em muitos locais em consequência da instabilidade.

Ar quente é combustível para instabilidade e com altos teores de umidade na atmosfera e temperatura muitíssimo alta em altitude, o cenário é de alto risco de tempo severo no Rio Grande do Sul até quarta-feira. A frente quente, além de provocar chuva excessiva em parte do Estado, deve trazer granizo (até médio a grande em alguns pontos) e ainda enorme quantidade de raios e rajadas de vento forte a intensa com possibilidade mesmo de vendavais. Eventos severos de ventania muito isolados e com danos são possíveis.

Na quarta, com o avanço da frente fria, o risco de tempo severo segue. A preocupação maior deixa de ser chuva volumosa e passa a ser vento, uma vez que a frente avançará e um uma atmosfera muito quente, com baixa pressão atmosférica, sob vento divergente de uma corrente de jato em baixos níveis e ainda com rápida troca de massas de ar (quente para fria), o que não apenas traz um ambiente favorável para vendavais como também gera o risco de episódios destrutivos isolados de vento por tornado ou correntes descendentes (downbursts).

Receba as notícias do Site OBSERVADOR REGIONAL no seu celular: CLIQUE AQUI e faça parte do nosso grupo de WhatsApp

MetSul Meteorologia

Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on telegram
Slider

MAIS LIDAS

Slider