Após fugir, filhote de gato percorre 250km em motor de carro no RS

Frajola vai passar a semana em Estrela antes de voltar para casa em Capão da Canoa — Foto: Ângela Schossler

Com apenas três meses de vida, o gato Frajola já passou por uma aventura. Escondido no motor de um carro, ele foi de Capão da Canoa, no Litoral Norte do Rio Grande do Sul, a Estrela, no Vale do Taquari, no último domingo (11). A distância entre os locais é de 230km e 3h de viagem. O gato ainda percorreu cerca de 20km dentro da cidade, sem ser descoberto.

A tutora de Frajola, a autônoma Bruna Lazzaretti Sparremberger, contou ao G1 que a família, moradora de Capão da Canoa, foi para Tramandaí no final de semana visitar a sogra, e deixou os dois gatos em casa.

“A gente saiu no sábado e eu deixei a janela do banheiro aberta para o Black [outro gato] voltar e fazer companhia pra ele [Frajola], porque quando a gente saiu, o Black ficou na rua. Saindo de casa até falei pro meu marido que não estava com um pressentimento tão bom”.

Na volta para casa, no domingo, Bruna contou que entrou assustada, já que não ouviu o filhote miando.

“Quando a gente chega ele já mia. Quando eu cheguei na porta ele não miou, e eu entrei com o coração na mão. Comecei a procurar por tudo quanto é lado e o desespero começou, né. Isso matou nosso fim de semana”.

A partir de então, Bruna começou a divulgar o desaparecimento do gato nas redes sociais e grupos de WhatsApp de donos de animais.

“Meu filho é muito apegado a ele, ama ele de paixão. A gente foi dormir pedindo a Deus pra me mostrar onde ele poderia estar. Eu sonhei que ele estava saindo de dentro do motor de um carro, mas a gente nunca imagina que pode ser verdade”.

Na segunda-feira (13), a família de Bruna recebeu a notícia esperada.

“O cunhado do Marcelo [dono do carro onde o gato viajou] mostrou uma foto: esse é teu gato? Eu disse que era, porque eu coloquei uma fita mimosa laranja para colocar os nossos contatos nele. Aí ele começou a contar a história, que ele tinha ido dentro do motor do carro. Foi uma mistura de alívio com preocupação, como ele não caiu, como não se machucou?”.

 

A viagem

O jornalista Marcelo Petter, morador de Estrela, passava o fim de semana em Capão da Canoa com a família.

“No domingo a gente estava tomando café da manhã e ouvimos um gato miando, fomos procurar e não achamos. Enfim, esquecemos do gato”, conta. “Aí eu vim de Capão ao meio dia para Estrela. Fui de carro pra lá e pra cá, fiz supermercado e tudo. Em nenhum momento ouvi nada”, completa.

 Fonte: G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on telegram
Slider

MAIS LIDAS

Slider