Autorizada reabertura de quadras esportivas para jogos coletivos amadores no RS

Brigada Militar
Advogado Benhur Aurélio Formentini Nunes
ABC NOVO
SICREDI NOVO
WAGNER NOVO
INFE NOVO

O governo do Estado autorizou a volta das atividades de quadras esportivas para jogos coletivos amadores no Rio Grande do Sul. A retomada, publicada em edição extra do Diário Oficial do Estado nesta segunda-feira (14), deve observar algumas regras e precisa ser aprovada pelos prefeitos — que, caso considerem necessário, podem manter a restrição.

De acordo com o texto do governo, as quadras poderão abrir nas cidades que ficarem 14 dias sem bandeira vermelha ou preta no modelo de distanciamento controlado. Os jogos não podem ter presença de público, e o intervalo entre as partidas precisa respeitar uma hora, com o objetivo de evitar aglomeração e permitir higienização. O texto do governo também veda o uso de espaços de entretenimento, como churrasqueiras e praça infantil.

A volta das quadras esportivas, segundo o Piratini, observa a necessidade de retomada econômica do setor e leva em conta a quantidade de pessoas empregadas e envolvidas. As quadras ficaram seis meses com as atividades proibidas em função da pandemia, com relatos de empresários endividados e demissão de funcionários.

Nos bastidores, o setor também fez uma pressão forte para conseguir voltar às atividades. Nos encontros promovidos pelo Palácio Piratini para tratar da reforma tributária, no Interior, é comum a presença de proprietários de quadras relatando as dificuldades enfrentadas e pedindo a flexibilização.

Em 15 de junho, um grupo chegou a protestar em frente à prefeitura de Porto Alegre pedindo a reabertura das quadras.

A Capital ficou na bandeira vermelha na última rodada do distanciamento controlado e, por isso, não se encaixa na flexibilização. Procurada por GZH nesta terça, a prefeitura afirmou que ainda não tem uma posição sobre a retomada e disse estar em contato com o setor.

O presidente da Associação Recreativa Cultural do Esporte Amador do Rio Grande do Sul, Nery Muller, entende que a liberação é um alento para o setor, mas a preocupação continua, tendo em vista as regras para a reabertura.

— Estamos há seis meses sem poder trabalhar, sem nosso ganha pão. A gente recebe com dois sentimentos essa notícia. Um é que ficamos ainda sem norte, porque a bandeira em várias regiões (cinco) está vermelha e precisamos mais 14 dias na laranja ou amarela. Num outro sentido, pelo menos as coisas avançaram para nós, porque até agora não havia acontecido nada — expressou.

O que diz o texto

Após 14 dias sem bandeira vermelha ou preta, ficam permitidos esportes coletivos exclusivamente em quadras esportivas, sem público, com intervalo de 1 hora entre os jogos e uso intercalado das quadras, para evitar aglomeração e permitir higienização. Vedado uso de espaços de entretenimento (churrasqueiras, praça infantil, etc.)

O governo ainda esclarece que, no caso das quadras, vale a bandeira determinada pelo Estado, não a da cogestão.

FONTE: zero hora

Sellnet Telecom
Gráfica Ômega
Zanella
Farmácia Santa Inês
Brigada Militar
Advogado Benhur Aurélio Formentini Nunes
ABC NOVO
SICREDI NOVO
WAGNER NOVO
INFE NOVO
Sellnet Telecom
Gráfica Ômega
Zanella
Farmácia Santa Inês

Mais acessadas

Mais notícias

MetSul alerta para estiagem severa no Rio Grande do Sul
Segundo dados da MetSul, o fenômeno La Niña atua desde...
TRE-RS esclarece sobre responsabilidade acerca da sanitização dos locais de votação
Como a maioria dos espaços públicos utilizados para a instalação...
Tenente Portela: Bombeiros voluntários atenderam chamado de incêndio em resteva de trigo
quipe do fogo mais uma vez chamada e desta vez...
Brigada Militar prende cinco pessoas e apreende uma adolescente em Catuípe durante operação
Nesta terça-feira (20), a Brigada Militar de Catuipe deflagrou a...
Preso o sexto traficante que transportava uma tonelada de maconha em Palmeira das MIssões
O sexto traficante envolvido no transporte de quase uma tonelada...