Caso Daiane – Feminicídio de indígena é classificado como estupro de vulnerável seguido de homicídio por asfixia mecânica, diz polícia

Slider

Na manhã desta quarta-feira (15/09), em Coletiva de Imprensa realizada na 22ª DPRI na cidade de Três Passos, a Polícia Civil realizou a apresentação da Conclusão do Inquérito do caso Daiane Griá Sales, indígena encontrada morta no dia 04 de agosto de 2021 com partes dilaceradas.

Após extensas investigações, onde foram inqueridas 88 pessoas, a Polícia apurou que a vítima saiu de casa no sábado, para a Vila São João em Redentora, juntamente com amigos, onde havia uma reunião de jovens com som automotivo.

Após ingerir uma grande quantidade de bebida alcoólica, a vítima saiu do local entre 02 e 03 horas da manhã, de carona com o suspeito identificado como autor dos crimes. Quatro dias depois, Daiane foi encontrada morta e com metade do corpo dilacerado até os ossos, em um local ermo, em Sítio Ferraz, divisa com a Terra Indígena do Guarita, no interior de Redentora.

Conforme a Polícia Civil, a perícia concluiu que havia vestígios genéticos na região mamária da vítima – estes estão sendo examinados pela perícia que deve em breve trazer informações conclusivas sobre o DNA encontrado.

Além disto, na bermuda e roupa íntima de Daiane também foram encontrados materiais indicativos de sêmen, quantidade que não foi suficiente para ser encontrado DNA. Desta forma, exames complementares podem trazer esta informação.

Segundo o delegado do caso, Vilmar Schaefer, a perícia aponta que o corpo foi vítima de violência, porém não existem perfurações de bala no corpo. A Polícia Civil aguarda o laudo que deve apontar que a morte de Daiane se deu por asfixia mecânica.

Sobre a metade inferior do corpo dilacerada, de acordo com a conclusão da Polícia, o que provocou a ausência das partes moles inferiores teria sido a ação de animais, depois da morte.

Ainda segundo informações repassadas pela Polícia, toda a ação, desde o estupro até o homicídio da vítima, ocorreu nas proximidades de onde o corpo foi encontrado. A Polícia Civil acredita que o autor do crime tenha colocado o corpo numa vegetação e animais teriam arrastado para a lavoura onde o corpo foi dilacerado e mais tarde encontrado.

O homem que será indiciado pelo crime é morador da região, já estava preso preventivamente e não é indígena.

Outro homem também havia sido preso preventivamente, porém, já foi liberado.

 

Receba as notícias do Site OBSERVADOR REGIONAL no seu celular: CLIQUE AQUI e faça parte do nosso grupo de WhatsApp

 

Confira a Coletiva de Imprensa na íntegra: 

 

Confira a Nota Oficial divulgada pela Polícia Civil:

Na data de hoje, 15/09/2021, a Polícia Civil, por intermédio de coletiva de imprensa na sede da 22ª Delegacia de Polícia Regional de Três Passos (e no Instagram: policiacivilrsoficial), anuncia o desfecho das investigações que apuraram as circunstâncias da morte da adolescente indígena DAIANE SALES, 14 anos, encontrada morta no dia 04/08/2021, na localidade de Posse Ferraz, interior do Município de Redentora (RS). Relembrando: a vítima foi vista pela última vez na noite do dia 31/07/2021 (sábado) para 01/08/2021 (domingo) numa festa ao ar livre, que ocorreu em rua na Vila São João, em Redentora, local adjacente à comunidade indígena do Setor Missão (localidade pertencente à Reserva Indígena do Guarita). Somente no dia 04/08/2021, numa lavoura, próxima de um mato, distante cerca de dez quilômetros do palco onde ocorreu a festa, o cadáver da vítima foi encontrado (por agricultor) sem vida, com a parte inferior do corpo dilacerada, segundo o Laudo de Necropsia, causada “provavelmente por animais e/ou aves de rapina”, restando descartada ação de origem humana, nesta parte. Ao tomar conhecimento do fato, por Força-Tarefa, a Polícia Civil desencadeou investigações em caráter de prioridade absoluta, e, nesta data, após quarente dias de trabalho investigativo ininterrupto, alcança o seu desfecho. Ao longo das investigações houve o decreto de prisão temporária de dois suspeitos, mas, ao cabo, a autoria delitiva acabou recaindo sobre um indivíduo, imputável, morador das cercanias dos fatos, que, aliás, na tarde de ontem (14/9/2021), teve a sua prisão preventiva decretada pelo Poder Judiciário da Comarca de Coronel Bicaco (RS). De acordo com o apurado, suficientes indícios de autoria e prova da materialidade apontam o investigado como incurso pela prática das infrações penais tipificadas, em tese, nos artigos 217-A, § 1º, e 121, § 2º, III, V, e VI (c/c § 2º-A, II), , c/c 69, caput, todos do CP (Estupro de Vulnerável seguido de Homicídio Qualificado – Feminicídio) etiquetados como hediondos nos termos dos artigos 1º, I e VI, da Lei 8.072/90. Do carreado nos autos, restou comprovado que o investigado agiu sozinho, utilizando-se de veículo, ofertando carona para a vítima ao final da festa, entre 2h/3h da madrugada. Além de prova testemunhal, foram determinantes para a elucidação da autoria o confronto das versões do suspeito, permeadas de contradições, corroborando, também, o resultado de exames periciais realizados pelo Instituto Geral de Perícias – encontrados vestígios genéticos do autor junto ao cadáver da vítima. O resultado final quanto à causa da morte apenas está no aguardo de exames periciais complementares, que estão em curso célere.

 

Receba as notícias do Site OBSERVADOR REGIONAL no seu celular: CLIQUE AQUI e faça parte do nosso grupo de WhatsApp

Fonte: Observador Regional

Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on telegram
Slider

MAIS LIDAS

Slider