Chuva dá trégua apenas nesta quinta-feira no Rio Grande do Sul

ABC_OK-300x266
viatec-300x266
Benhur_BannerSite-300x266
WhatsApp Image 2022-07-15 at 09.14.17
lojaswagner_ok-300x266
Roque_2021-300x266
sicredi_ok-300x266
BANNERSANTAINESNOVO
mart
Campanha Sobras - 1080X1080

O ingresso de ar mais seco e frio garante um dia de trégua na chuva na maior parte do Rio Grande do Sul nesta quinta-feira, 9, antes de um novo episódio de instabilidade a partir da sexta. O sol aparece com nuvens na maioria das cidades, mas com períodos de maior nebulosidade. Pode chover em áreas perto da divisa com Santa Catarina, no Norte. O ar mais frio traz amanhecer frio no Oeste e no Sul com marcas ao redor e abaixo de 10ºC. Porto Alegre terá céu parcialmente nublado a nublado sem chuva, com temperatura entre 14ºC, no fim do dia, e 20ºC à tarde.

 

Por que a enchente está longe do fim
O que a MetSul Meteorologia enxerga nos mapas dos modelos é desolador para quem, como parte da nossa equipe de meteorologistas e centenas de milhares de pessoas, as casas estão sob as águas na enchente. A cheia do Guaíba está longe do fim. Embora o Guaíba tenha recuado ontem após quatro dias de estabilidade entre 5,25 m e 5,35 m, chuva e vento vão prolongar a enchente com novos momentos de elevação do nível. Nesta quinta-feira, por exemplo, o vento Sul vai gerar represamento, causando alta ou reduzindo a baixa.

A chuva que se prevê nos afluentes entre sexta-feira e segunda será excessiva, com volumes equivalentes a um ou dois meses de precipitação em apenas quatro dias, com muita água chegando ao Guaíba semana que vem. Não bastasse, a chuva por vezes será forte na capital e, na chegada do ar polar semana que vem, de terça para a quarta, haverá vento Sul forte com nova alta do Guaíba.

 

Pior para o Sul do Estado ainda está por vir
A MetSul Meteorologia reforça o alerta para cidades às margens da Lagoa dos Patos, no Sul do Estado, que a enchente será de grandes e graves proporções. São zonas de alto risco, e que já estão com inundações, as cidades de Pelotas, São Lourenço do Sul e Rio Grande, dentre outras.

Com base na história, é possível dizer que o pior ainda está por vir. Em 1941, o pico da cheia em Pelotas ocorreu entre 15 e 17 de maio, uma semana após o máximo da cheia do Guaíba ter ocorrido, em 8 de maio. Inundações severas a extremas atingirão cidades do Sul gaúcho nos próximos dias.

Receba as notícias do Site OBSERVADOR REGIONAL no seu celular: CLIQUE AQUI e faça parte do nosso grupo de WhatsApp

FONTE: Correio do Povo

Compartilhe:

ABC_OK-300x266
viatec-300x266
Benhur_BannerSite-300x266
WhatsApp Image 2022-07-15 at 09.14.17
lojaswagner_ok-300x266
Roque_2021-300x266
sicredi_ok-300x266
BANNERSANTAINESNOVO
mart
Campanha Sobras - 1080X1080

MAIS LIDAS

SELLNET-300x158
zanella
farmsantinesnova
Roque_2021-300x266-1-seo