Cinco funcionárias de posto de saúde do RS são demitidas por furar fila para vacinar parentes

Vacinação em Porto Alegre — Foto: Cristine Rochol / PMPA
Slider

Cinco funcionárias de um posto de saúde em Porto Alegre foram demitidas por privilegiarem parentes na vacinação contra a Covid. Elas teriam passado os familiares na frente de outros grupos prioritários.

As profissionais foram afastadas imediatamente dos cargos e demitidas por justa causa por ato ilícito contra a administração pública por formação de esquema fura-fila da vacina.

A Secretaria Municipal de Saúde disse que foi informada do caso, que ocorreu na Unidade de Saúde Guarujá, no final de julho.

As profissionais são uma enfermeira, três técnicas de enfermagem e uma auxiliar administrativa, que teriam privilegiado familiares fora do grupo prioritário ou faixa etária de vacinação contra a Covid.

A secretaria abriu uma sindicância para a apuração dos fatos e orientou a Associação Hospitalar Vila Nova, gestora do RH da unidade, a tomar as medidas cabíveis. Foi feito um boletim de ocorrência na Polícia Civil, denúncia no Conselho Regional de Enfermagem do RS (Coren-RS) e no Ministério Público.

Desde o ocorrido, a Secretaria da Saúde disse que foi intensificado o monitoramento das doses entregues e das doses aplicadas de cada unidade de saúde.

Também foi orientado às coordenações a evitarem a abertura de novos frascos ao final do dia, para reduzir as sobras em cada unidade.

A Secretaria disse que a apuração dos fatos junto aos envolvidos apontou que não houve substituição do imunizante por soro fisiológico ou água. Com isso, não há suspeitas de que pessoas tenham sido vacinadas com outras substâncias.

A Secretaria disse ainda, em nota, que desconhecia tal prática e repudia qualquer conduta semelhante. Leia a nota na íntegra.

Nota da Secretaria Municipal de Saúde

No dia 30 de junho, a Secretaria Municipal de Saúde foi informada que 5 profissionais da Unidade de Saúde Guarujá, sendo uma enfermeira, três técnicas de enfermagem e uma auxiliar administrativa teriam privilegiado familiares fora do grupo prioritário e/ou faixa etária de vacinação contra a Covid-19.

Diante disso, a SMS abriu uma sindicância para a apuração dos fatos, e orientou a Associação Hospitalar Vila Nova (AHVN), gestora do RH da unidade, a tomar as medidas cabíveis. Foi feito um boletim de ocorrência na Polícia Civil, denúncia no Coren-RS e no Ministério Público.

Os cinco profissionais envolvidos foram afastados imediatamente dos cargos, sendo demitidos por justa causa por ato ilícito contra a administração pública por formação de esquema fura-fila da vacina.

Desde o ocorrido, foi intensificado o monitoramento das doses entregues x doses aplicadas de cada unidade de saúde. Também foi orientado as coordenações a evitarem a abertura de novos frascos ao final do dia, a fim de diminuir as sobras em cada unidade.

A apuração dos fatos junto aos envolvidos apontou que não houve substituição do imunizante por soro fisiológico ou água. Com isso, não há suspeitas de que pessoas tenham sido vacinadas com outra substância.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on telegram
Slider

MAIS LIDAS

Slider