Coluna Estrada Iluminada: Não reclamemos

Nilton Estrada

Alguns pontos da história não são normalmente comentados, a não ser em grupos de estudos de algumas religiões, pois certos assuntos muitas vezes são esquecidos em razão de outros acontecimentos ou também podem entrar em confronto com as ideias de certas crenças.

A volta do espírito a vida corporal é uma evidência, mas muitas crenças não a admitem. Uma das passagens como se diz quando nos referimos ao Evangelho é a dos momentos que precederam o nascimento de Jesus. Normalmente comentamos amplamente por ocasião do Natal o nascimento do Mestre, tendo até música mencionando que ele nasceu numa manjedoura, dando, portanto, desde o nascimento, demonstração de simplicidade.

Mas naqueles tempos, houve determinação governamental para que fossem sacrificadas crianças que iriam nascer, pois que temiam o surgimento do Líder que era esperado segundo profecias e comentário geral.

Veja como é difícil o retorno do espírito a carne, pois mesmo quando na espiritualidade sabendo dos objetivos que tem de alcançar, provas, não tem a certeza de que obterá êxito! Um dos exemplos é Jesus, que sua mãe e pai tiveram de sair de uma localidade em fuga para que o nascimento se concretizasse e estivesse fora do perigo da perseguição.

Mesmo Jesus que reunia capacidades especiais e tinha uma missão Divina, pois trazia a segunda revelação que é o Evangelho teve de passar por providências no sentido de ter seu nascimento concretizado e, portanto sua vida preservada para cumprir assim os objetivos que o trouxeram a Terra.

Nos dias de hoje somos perseguidos também por situações que escapam a nossa capacidade de defesa, pois vivemos um momento de violência, o que nos causa aflições, pois não sabemos se saindo de casa retornaremos dado o clima de insegurança que se instalou de um tempo para cá. Não sabemos nem o que acontecerá mesmo estando em nosso último reduto que é o lar.

Assim viveram Maria e José os momentos que antecederam ao nascimento do Menino e também depois do nascimento, já que Ele viveu constantemente perseguido por ter ideias contrárias ao plano político da época.

Não devemos esmorecer diante das dificuldades. O medo faz parte de nossos sentimentos e devemos enfrentá-lo assim como os que acercavam o Mestre naqueles dias o fizeram.

Todos nós temos objetivos a cumprir aqui na Terra por mínimo que seja. Isso depende da capacidade de cada um. Deus não dá o fardo maior que podemos carregar, e reclamar das dificuldades só agrava nossa situação perante aquilo que nos propomos na espiritualidade antes de nascer cumprir.

Já somos vencedores em ter conseguido vir ao mundo. Não esmoreçamos diante de dificuldade.

Lutemos. Muita paz amigos

 

 

Fonte: Nilton Moreira

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on telegram

MAIS LIDAS

VÍDEOS

Mais notícias

Descarga elétrica tira vida de agricultora no Noroeste do RS
A Brigada Militar 4ª Cia guarnição de Tucunduva e...
Assalto seguido de roubo de carro em Panambi na noite desta quinta-feira (04)
Foi por volta das 20h. Três homens solicitaram uma...
Executores invadem apartamento e disparam contra homem em Ijuí
Uma tentativa de homicídio foi registrada na noite desta...
Coronel Bicaco: Com 16 novos casos secretaria emite carta aberta a população
Ante ao aumento contínuo de casos de contaminação por...
Região – Mais de 100 bugios já foram encontrados mortos por consequência da febre amarela
As secretarias da saúde da região norte, nordeste e...