CONFIRA VÍDEO: treze pessoas são indiciadas no maior golpe da história da pecuária

Slider

Polícia Civil de Formigueiro concluiu e remeteu à Justiça o inquérito da Operação Reculuta, que apura o maior golpe da história da pecuária do Rio Grande do Sul. Pelo menos 95 pecuaristas de várias cidades do Estado foram lesados no negócio da compra e venda de gado. Após dois meses de investigação13 pessoas foram indiciadas pela polícia de Formigueiro por participação no esquema. O suposto golpe, descoberto em junho deste ano, foi divulgado com exclusividade pela reportagem do Bei.

Quatro suspeitos foram presos durante as investigações em mandados expedidos pela Justiça de Caçapava do Sul. Três seguem presos, entre eles o homem apontado como o mentor da suposta fraude, o negociar Marco Gilberto Müller Becker Filho.

O prejuízo chega perto de R$ 10 milhões apenas em Formigueiro, onde quase 40 pecuaristas registraram boletins de ocorrência. Quase 3 mil animais foram apreendidos pela Justiça, a partir da investigação feita no município.

No total, em 14 municípios gaúchos e de outros três Estados onde a fraude teria sido aplicada, os prejuízos somados alcançam R$ 50 milhões. A pedido da Polícia Civil, a Justiça determinou a apreensão de mais de 16 mil cabeças de gado.

Segundo a investigação da polícia, o golpe teria começado em Formigueiro, pelo negociador de gado Marco Gilberto Müller Becker Filho. Além dele, outras quatro pessoas foram indiciadas em Formigueiro, duas em Caçapava do Sul, e em São Francisco de Assis, Santana da Boa Vista, Vila Nova do Sul, Tupanciretã, São Sepé e Itaara. Eles são corretores de gado ou pecuaristas que foram apontados com participação de alguma forma no esquema.

A polícia descobriu que além de comprar animais e pagar em cheques pré-datados, o esquema ainda beneficiaria falsos pecuaristas, que nem sequer teriam campo para criar gado e possuiriam grande quantidade de animais. Conforme a polícia, era o chamado gado de papel.

Um funcionário da inspetoria veterinária de Formigueiro, que foi preso, participaria do esquema burlando o sistema do Estado para fazer falsos lançamento de falsos nascimentos de gado. Isso tudo para ter falsas garantias de bens ao fazer empréstimos em bancos e dar os bois (gado de papel) que não existiam como forma de garantia.

Becker Filho está preso desde 22 de junho no Presídio Estadual de Caçapava do Sul. A advogada dele, Ana Elisa Telesca foi procurada para falar sobre o indiciamento do cliente, mas, até a publicação desta reportagem, ela não havia se pronunciado.

SUSPEITOS SÃO APONTADOS EM OUTRO INQUÉRITO

A Delegacia Especializada em Crimes Rurais e Abigeato (Decrab) de Bagé investigou o mesmo golpe em pelo menos outras 10 cidades do Estado. O inquérito já foi remetido à Justiça. Quase 13 mil animais já haviam sido apreendidos, além de pelo menos quatro veículos. A expectativa dos produtores é de conseguir recuperar os animais. Para um produtor que perdeu mais de R$ 4 milhões de reais e ficou sem nenhum animal, a esperança é depositada na Justiça. Ele entrou com uma ação para tentar reaver os animais.

– Não vai ser fácil, a gente fica numa expectativa e não sabe o que vai acontecer. Tem dias que me da uma aflição. É complicado, uma situação bem delicada. A gente fica com as mãos atadas. Dependemos da justiça. Da um desanimo. Eu to tentando tocar a minha vida. Se ver sem dinheiro de uma hora para outro não é fácil – desabafa o pecuarista.

COMO FUNCIONARIA O GOLPE

– As operações Reculuta e Aramado fazem parte da investigação do suposto golpe do gado, que teria lesado pelo menos 80 pecuaristas em 14 cidades do Estado

– O principal suspeito é o atravessador Marco Gilberto Müller Becker Filho. Ele atuava há pelo menos dois anos no ramo de compra e venda de animais

– Segundo os produtores, o suspeito adquiria o gado por preço acima do valor de mercado, para pagamento a prazo, e o revenderia a preços mais baixos em remates com pagamento à vista

– Além de Becker Filho, outras três pessoas, todas corretoras de gado, foram presas até agora por suspeita de envolvimento no esquema. Um deles é um servidor público que fraudaria informações do sistema da Inspetoria Veterinária em Formigueiro

– Becker Filho está preso no Presídio Estadual de Caçapava do Sul desde 22 de junho

– Um funcionário do Estado burlava o sistema e fazia falsos lançamentos de nascimentos de animais para, supervalorizar falsos pecuaristas .

Receba as notícias do Site OBSERVADOR REGIONAL no seu celular: CLIQUE AQUI e faça parte do nosso grupo de WhatsApp

Fonte: Bei

Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on telegram
Slider

MAIS LIDAS

Slider