Corpo do segundo bombeiro que estava desaparecido no prédio da SSP é encontrado

Governador Eduardo Leite junto das equipes de busca, resgate e salvamento do Corpo de Bombeiros Militar nesta quinta-feira. Foto: Felipe Dalla Valle / Palácio Piratini / Divulgação

Às 23h15min desta quarta-feira (21), os bombeiros retiraram dos escombros do prédio da Secretaria de Segurança Pública (SSP) o corpo do sargento Lúcio Ubirajara de Freitas Munhós, 51 anos. Ele foi localizado próximo ao local onde estava o tenente Deroci de Almeida da Costa, 46 anos.

Os dois agentes estavam desaparecidos desde a última quarta-feira (14), quando ocorreu incêndio na sede da SSP.  Mais de 120 bombeiros realizavam as buscas nesta noite. O trabalho foi reforçado na última terça-feira (20) com a chegada de cães farejadores de Santa Catarina.

— Cumpriram (tenente Almeida e sargento Munhós) ao extremo seu juramento de colocar a própria vida em risco para salvar outras vidas, e salvaram. Sua própria guarnição, que estava fazendo o trabalho de combate aos incêndios, garantindo que ninguém ficasse para trás — afirmou o governador Eduardo Leite, durante coletiva no início da madrugada desta quinta-feira (22).

Munhós estava na corporação desde 1990 e trabalhava na Divisão de Logística e Patrimônio do Corpo de Bombeiros, junto ao Comando-Geral. Mesmo com tempo de serviço para estar aposentado, seguia na ativa. Na noite do incêndio, de folga, decidiu ir para o local ajudar mesmo assim.

O sargento recebeu a medalha de ouro de serviços prestados em 2020, pelo comando dos Bombeiros, por sua trajetória na corporação. Em 2009, foi entrevistado pelo Diário Gaúcho após ajudar a retirar um carro que caiu no Arroio Dilúvio. À época, contou que era preciso “gostar muito” da profissão para fazer tarefas como aquela.

Quase cinco horas antes de encontrarem Munhós, a equipe localizou o corpo do tenente Deroci de Almeida da Costa, 46 anos. A identificação do corpo foi feita por procedimento de papiloscopia por impressão digital, realizada pelo Instituto-Geral de Perícias (IGP). O tenente Almeida atuava na noite do incêndio como o oficial de serviço, o responsável por despachar viaturas e coordenar as equipes de combate às chamas. Casado e pai de dois filhos, o bombeiro estava na corporação desde dezembro de 1998.

Ao confirmar a morte de Almeida, o governador do prestou solidariedade à família e aos bombeiros:

— Lamentavelmente perdemos o tenente Almeida no desabamento de oito andares. Nossa gratidão, nossa homenagem e nossos pêsames a todos os familiares.

O incêndio no prédio que sediava a cúpula das decisões estratégias da segurança pública gaúcha iniciou por volta das 21h40min do dia 14 quando cerca de 40 pessoas trabalhavam no local. Sete testemunhas contam à Polícia Civil que viram a fumaça iniciar em uma sala do quarto andar, onde funcionava o setor administrativo da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe).

O prédio foi rapidamente evacuado e 15 minutos após o começo das chamas o quarto e quinto andar já estavam tomados pelo fogo. Por volta das 23h30min, parte da estrutura desabou. Dois bombeiros desapareceram no começo da madrugada do dia 15.

 

Receba as notícias do Site OBSERVADOR REGIONAL no seu celular: CLIQUE AQUI e faça parte do nosso grupo de WhatsApp

Fonte: Gaúcha ZH

Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on telegram
Slider

MAIS LIDAS

Slider