Governo do RS anuncia novas medidas para ajudar produtores no combate à estiagem

Governo pretende ampliar subsídio para o programa Troca-Troca para sementes de milho, mas não detalhou valor dos repasses - FecoAgro / Divulgação
ABC_OK-300x266
viatec-300x266
Benhur_BannerSite-300x266
brigada-300x267
infe_ok-300x266
lojaswagner_ok-300x266
Roque_2021-300x266
sicredi_ok-300x266
Site_392x442

Com 140 municípios sofrendo prejuízos em função da estiagem, o governo do Estado ampliou o prazo para adesão a sementes forrageiras e o subsídio para sementes de milho no programa Troca-Troca. As medidas foram anunciadas na tarde desta quarta-feira (5), cinco horas após reunião do governador Eduardo Leite com três secretários.

– Estamos atentos à situação dos municípios e unindo esforços para prestar atendimento aos produtores que precisam lidar com esse tipo de intempérie, seja a ausência ou o excesso de chuva – disse Leite.

O prazo para os produtores manifestarem interesse no programa Sementes Forrageiras foi estendido até 15 de janeiro. O objetivo é permitir a alimentação dos animais, uma vez que as pastagens estão secando em razão da falta de chuva. Já a ampliação do subsídio no Troca-Troca de Semente de Milho da safra 2021/2022 não foi detalhada. A medida será válida apenas nos municípios que decretaram situação de emergência, mas o repasse dos valores ainda será discutido entre as secretarias da Agricultura e da Fazenda.

Durante a reunião, Leite pediu à secretária da Agricultura, Silvana Covatti, que estude melhores condições nas taxas de juro de crédito rural contratado pelos produtores de leite. Conforme a Emater, a queda na produção alcança a marca de 1,6 milhão de litros por dia.

Apesar da expectativa por ajuda nas mais de 138 propriedades afetadas pela seca, o governo não anunciou liberação de recursos do programa Avançar na Agricultura. Dos R$ 275,9 milhões prometidos para investimento em 2022, R$ 201 milhões são para ações de irrigação. Por enquanto, a Defesa Civil está encarregada de definir estratégia para enviar caminhões-pipas às cidades mais afetadas.

Prefeito em exercício de Júlio de Castilhos, primeiro munícipio a decretar situação de emergência por causa da seca, Carlos Alberto Rezende esteve pessoalmente em Porto Alegre na terça-feira em busca de socorro para amenizar as perdas no campo. Rezende pediu cisternas, caixas d’água e a perfuração de poços artesianos, mas voltou para o município da Região Central levando apenas um tanque com capacidade para 4,2 mil litros de água.

– A situação só piora. Estamos com nosso decreto já homologado pelo governo do Estado, mas ainda aguardamos ajuda – afirma Rezende.

Em todo o Estado, 123 municípios decretaram situação de emergência – 15 já tiveram o status homologado pelo Estado e 11, reconhecido pelo governo federal. Na próxima semana, está previsto um sobrevoo da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, sobre as áreas mais afetadas do Rio Grande do Sul.

Receba as notícias do Site OBSERVADOR REGIONAL no seu celular: CLIQUE AQUI e faça parte do nosso grupo de WhatsApp

Fonte: GZH

Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on telegram
ABC_OK-300x266
viatec-300x266
Benhur_BannerSite-300x266
brigada-300x267
infe_ok-300x266
lojaswagner_ok-300x266
Roque_2021-300x266
sicredi_ok-300x266
Site_392x442
PartiuSicoob_BannerSite_300x266px

MAIS LIDAS

SELLNET-300x158
graficaomegaok
zanella
farmsantinesnova