Heróis do cotidiano: Soldado da BM se atirou de roupa e salvou idoso que corria risco de afogamento quando carro caiu num valão

Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS
ABC_OK-300x266
viatec-300x266
Benhur_BannerSite-300x266
brigada-300x267
lojaswagner_ok-300x266
Roque_2021-300x266
sicredi_ok-300x266
Site_392x442
PartiuSicoob_BannerSite_300x266px
WhatsAppImage2022-01-27at090302
BANNERSANTAINESNOVO
durstok
postedeatendimentosite

Heróis não são apenas aqueles das tragédias gregas, o Leônidas e seus 300 espartanos que enfrentaram 30 mil persas. Nem apenas aquele tipo de soldado que mata uma dezena de inimigos e ganha a Medalha de Honra (existem tipos assim e podem ser conferidos numa série, aqui).

Heróis podem ser autores de pequenos e decisivos gestos cotidianos. É o caso do ato do soldado Daniel Topor Timm, do 15º Batalhão de Polícia Militar, de Canoas. Na noite de segunda-feira (6), ele e colegas de uma guarnição foram avisados pela central de ocorrência que um veículo tinha mergulhado num valão na Avenida das Canoas, no município do mesmo nome. Foi o segundo carro a cair ali em 24 horas.

Dentro do carro estava preso um senhor de 86 anos, semiconsciente. Ele não conseguia sair sozinho. Muitos populares assistiam à cena, mas ninguém se dispunha a entrar no valão. A guarnição da BM agiu. O PM Timm tirou colete, parte da roupa e se jogou na água suja. Conseguiu abrir a tampa do porta-malas e por ali se esgueirou até o idoso, até resgatá-lo. O relato do salvamento pode ser conferido nesse vídeo gravado pelo colega Ronaldo Bernardi, de GZH.

O idoso e o seu salvador foram hospitalizados. Isso porque o PM teve muito contato com a água do valão. Corre o risco de contrair leptospirose e outras moléstias características de locais poluídos. O policial terá de ser monitorado, mas tudo indica que essa é uma história com final feliz. Tanto que o filho do homem salvo procurou o policial, nesta terça-feira (7), para agradecer.

O caso me traz à memória outro episódio célebre, ocorrido em 1977, em Brasília. Um sargento do Exército, o gaúcho Sílvio Holenbach, percebeu quando um menino de 13 anos caiu num lago do zoológico cheio de ariranhas (um animal selvagem, aparentado da lontra). Os bichos mordiam o garoto, chamado Adílson Florêncio da Costa. Sem hesitar, o militar se atirou no lago e salvou o adolescente.

Holenbach levou mais de cem mordidas, que foram fatais. Após três dias de agonia num hospital, o sargento morreu. O menino sobreviveu.

Que atos de bravura como o do sargento Holenbach e o do soldado Timm nos inspirem para todo o sempre.

Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS
Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS

Fonte: GZH

Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on telegram
ABC_OK-300x266
viatec-300x266
Benhur_BannerSite-300x266
brigada-300x267
lojaswagner_ok-300x266
Roque_2021-300x266
sicredi_ok-300x266
Site_392x442
PartiuSicoob_BannerSite_300x266px
WhatsAppImage2022-01-27at090302
BANNERSANTAINESNOVO
durstok
postedeatendimentosite

MAIS LIDAS

SELLNET-300x158
zanella
farmsantinesnova
Roque_2021-300x266-1-seo