Homem confessa que matou família e ateou fogo em residência no Oeste de SC

Foto: Corpo de Bombeiros

Na tarde de segunda-feira (12), a Polícia Civil de Santa Catarina (PCSC), através da Divisão de Investigação Criminal de Fronteira (DIC-Fron) de São Lourenço do Oeste (SC), concluiu as investigações sobre as quatro mortes e incêndio à residência ocorridos no início da manhã do dia 08 de maio de 2021, na Rua Valdir Humberto Lodi, no bairro Esperança, na cidade de São Domingos, no Oeste de Santa Catarina.

Segundo a Polícia Civil, na ocasião, foram mortos, com golpes de faca na altura do pescoço duas crianças e dois adultos – um menino e uma menina, com 11 e 10 anos de idade, e dois adultos, um homem e uma mulher, de 34 e 31 anos, e, em seguida, foi ateado fogo à residência com o intuito de apagar qualquer indício que pudesse levar à descoberta da autoria de um crime tão cruel e covarde.

De acordo com os policiais, a partir dos laudos do Instituto Médico Legal (IML) do Núcleo Regional de Perícias de São Lourenço do Oeste, descobriu-se que as lesões foram desferidas enquanto a família ainda estava viva.

Os trabalhos investigativos imediatos, numa ação de integração junto ao Instituto Geral de Perícias (IGP) e Instituto Médico Legal (IML), possibilitou a colheita de provas que, seis dias após os fatos, resultou na prisão temporária de um homem de 31 anos de idade (que era amigo e frequentava a casa da família que veio a matar), na cidade de Ipuaçu, àquela altura investigado como autor dos crimes.

Por se tratar de crime hediondo (especialmente grave), a prisão temporária foi, num primeiro momento, decretada pelo prazo de 30 (trinta) dias, só que, em seguida, prorrogada por igual período (ou seja, mais 30 dias), dado que comprovada a extrema necessidade.

Durante todo esse tempo, a Polícia Civil seguiu desempenhando fielmente seu papel na condução das investigações, até que, no último sábado (10), o homem confessou a autoria dos crimes que matou as duas crianças, os dois adultos, e em seguida ateou fogo na residência. Alegou a motivação como sendo o uso excessivo de drogas (cocaína) e que nada se lembrava das mortes.

O homem continua preso no Presídio Regional de Xanxerê/SC. A segurança pública, dever do Estado, direito e responsabilidade de todos, é exercida para a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio.

Receba as notícias do Site OBSERVADOR REGIONAL no seu celular: CLIQUE AQUI e faça parte do nosso grupo de WhatsApp

Fonte:CLIC RDC

Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on telegram
Slider

MAIS LIDAS

Slider