Hospital Santo Ângelo divulga novo comunicado informando lotação nos leitos de UTI

ABC_OK-300x266
viatec-300x266
Benhur_BannerSite-300x266
brigada-300x267
lojaswagner_ok-300x266
Roque_2021-300x266
sicredi_ok-300x266
Site_392x442
PartiuSicoob_BannerSite_300x266px
WhatsAppImage2022-01-27at090302
BANNERSANTAINESNOVO
durstok
postedeatendimentosite

Através de comunicado oficial, emitido ontem (20), o Hospital Santo Ângelo (HSA) divulgou a situação atual dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

De acordo com os dados, a UTI adulta está com 100% dos leitos ocupados, ou seja, as 10 vagas estão preenchidas. No que se refere a UTI neonatal, das dez vagas, nove estão ocupadas.

Em dez dias, esse já é o segundo aviso de superlotação emitido pela casa de saúde.

O Sistema de Gerenciamento de Internações (Gerint) é utilizado pelo governo do Rio Grande do Sul na busca por vagas a partir de um mapa de ocupação dos leitos em tempo real. Ou seja, quando um paciente necessitar uma vaga em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e não encontrar disponibilidade em sua cidade, será cadastrado no sistema e encaminhado a outra cidade ou região onde há vagas disponíveis.

Todo o procedimento é custeado pelo próprio Estado, através do Sistema Único de Saúde (SUS). De acordo com o Promotor de Justiça, Júlio César Maggio Stürmer, “estando os leitos de UTI ocupados, o hospital que atende pelo SUS insere a solicitação de leito de UTI através do Sistema GERINT, e o paciente será encaminhado para outro hospital que tenha vaga dentro do Estado”.

Em relação ao tempo de espera, o paciente que não aguardar o processo ser concretizado para a transferência e buscar internação por conta própria em unidades hospitalares que não atendem pelo SUS, sem comunicar ao sistema, perde o direito de pagamento de despesas por parte do Estado.

Caso o Estado seja informado e se negue a realizar a disponibilização da vaga na rede particular, o paciente pode ser encaminhado e posteriormente cobrar as despesas do órgão estadual. “A internação na rede particular não pode ser feita para depois exigir do Estado o pagamento, em tese. Primeiro é preciso oportunizar ao Estado atender com a devida brevidade, e, somente se omitindo ou negando a vaga, ocorrem demandas judiciais com ordem liminar”, afirma o promotor.

O Gerint já era utilizado pelo Estado antes da pandemia em cadastros de solicitações de internações pelos hospitais que necessitam de transferência de pacientes.

Receba as notícias do Site OBSERVADOR REGIONAL no seu celular: CLIQUE AQUI e faça parte do nosso grupo de WhatsApp

Fonte: Rádio Progresso de Ijuí

Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on telegram
ABC_OK-300x266
viatec-300x266
Benhur_BannerSite-300x266
brigada-300x267
lojaswagner_ok-300x266
Roque_2021-300x266
sicredi_ok-300x266
Site_392x442
PartiuSicoob_BannerSite_300x266px
WhatsAppImage2022-01-27at090302
BANNERSANTAINESNOVO
durstok
postedeatendimentosite

MAIS LIDAS

SELLNET-300x158
zanella
farmsantinesnova
Roque_2021-300x266-1-seo