Idosa acorda após ser dada como morta em unidade de saúde do RS

Plantão
ABC_OK-300x266
viatec-300x266
Benhur_BannerSite-300x266
brigada-300x267
infe_ok-300x266
lojaswagner_ok-300x266
Roque_2021-300x266
sicredi_ok-300x266
Site_392x442

Dada como morta por três médicos, uma idosa de 78 anos foi encontrada viva momentos antes de ser removida do Posto 24h Eva Dias de Melo, de Cidreira, para uma funerária local. Clotilde Rieck chegou à unidade de saúde na manhã do dia 30 de dezembro após sofrer um ataque cardíaco. Conforme a sobrinha, Magda Maria Rieck, 50 anos, a idosa foi imediatamente intubada e levada para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Cerca de uma hora depois, uma equipe médica comunicou que ela havia morrido.

A família, então, foi ao cartório registrar o óbito e estava escolhendo o caixão quando recebeu a ligação de um funcionário da funerária contratada para recolher o corpo no posto de saúde.
— Ele contou que quando chegou no local, viu minha tia com um olho aberto e um braço levantado, como se estivesse pedindo socorro — conta Franciane Rieck da Silva, 26 anos, filha de Magda e sobrinha-neta de Clotilde.
No mesmo dia, a idosa foi encaminhada ao Hospital Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, onde permaneceu na UTI até a quinta-feira (6), quando foi levada para o quarto. Não há previsão de alta.

— Agora ela está bem, acordou perguntando o que estava fazendo no hospital, mas ainda não contamos pra ela o que aconteceu — diz Franciane.

No posto de saúde, Clotilde foi atendida por uma equipe de três médicos, entre eles, a clínica-geral Anne Leticia de Oliveira Ferreira. A profissional assegura que a paciente ficou sem sinais vitais por 40 minutos e teria sofrido choque séptico, uma infecção generalizada que causa falência de órgãos.

— Testifiquei que tinha ausência de sinais vitais e a minha equipe também testificou. Isso foi umas 10h. Lá pelas 13h40, notou-se que a paciente estava respirando. Então, fizemos todos os procedimentos, desde a medicação até a intubação para preservá-la. É muito curioso tudo isso.

A família registrou boletim de ocorrência, e o caso está sendo investigado pela Polícia Civil e também pela direção-geral do hospital. Conforme a ex-chefe de gabinete da prefeitura de Cidreira, Irene Mendes, a casa de saúde abriu um procedimento administrativo para apurar a conduta da equipe médica.

Receba as notícias do Site OBSERVADOR REGIONAL no seu celular: CLIQUE AQUI e faça parte do nosso grupo de WhatsApp

Fonte: Gaúcha ZH

Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on telegram
ABC_OK-300x266
viatec-300x266
Benhur_BannerSite-300x266
brigada-300x267
infe_ok-300x266
lojaswagner_ok-300x266
Roque_2021-300x266
sicredi_ok-300x266
Site_392x442
PartiuSicoob_BannerSite_300x266px

MAIS LIDAS

SELLNET-300x158
graficaomegaok
zanella
farmsantinesnova