Indiciado por morte de taxista de Crissiumal tentou omitir identidade no momento da prisão

ABC_OK-300x266
viatec-300x266
Benhur_BannerSite-300x266
brigada-300x267
lojaswagner_ok-300x266
Roque_2021-300x266
sicredi_ok-300x266
Site_392x442
PartiuSicoob_BannerSite_300x266px
WhatsAppImage2022-01-27at090302
BANNERSANTAINESNOVO
OBAOK
278875877_5073530309371253_7577404801244216723_n
WhatsApp Image 2022-05-12 at 09.02.05

Foi no bairro Restinga, na zona sul de Porto Alegre, que um casal procurado por latrocínio (roubo com morte) e homicídio acabou sendo preso no início da manhã desta terça-feira (19). Sheila Daiane Corrêa Ceconi e Martielo de Souza Martins, ambos de 30 anos, estavam foragidos, após terem prisão preventiva decretada. O crime mais recente do qual são suspeitos é o assassinato de um taxista durante assalto no noroeste do Estado.

A prisão foi realizada por agentes da 16ª Delegacia de Polícia, que receberam informações de policiais do Noroeste sobre a possível localização dos dois foragidos na Capital. Segundo o delegado Gustavo Brentano, o casal foi localizado por volta das 6h30min em um condomínio da Restinga.

— Ele estava em um apartamento e ela em outro, no momento da prisão. Ele tentou omitir a identidade, mas já sabíamos quem ele era e efetuamos a prisão — disse o delegado.

Segundo Brentano, não foi encontrada nenhuma arma com os foragidos e o veículo do taxista também não foi localizado. A suspeita da polícia é de que o assassinato tenha sido cometido para roubar o táxi. Os dois foram encaminhados para a 16ª DP, onde foram interrogados sobre os dois crimes dos quais são suspeitos.

— Em ambas as situações, tanto pelo latrocínio, como pelo homicídio, eles resolveram permanecer em silêncio — afirmou o delegado.

Na tarde de segunda-feira (18), em coletiva de imprensa, o delegado William Garcez, de Crissiumal, havia informado que os dois estavam foragidos. Foi o policial que repassou as informações à 16ª DP sobre o possível paradeiro deles.

Um dos crimes pelos quais eles eram procurados, por suspeita de serem os autores, é a morte do taxista Cléber Roni Tormes, 61 anos, que desapareceu no fim da tarde de 21 de março em Crissiumal. O corpo dele foi localizado na última sexta-feira (15).

Um morador de Campo Novo acionou a polícia após localizar um cadáver na localidade conhecida como Matão do Bones, a cerca de 45 quilômetros de onde Tormes havia sumido. O corpo do taxista foi reconhecido por familiares, mas também foi solicitada perícia para fazer a identificação.

A polícia aguarda o recebimento do resultado para concluir a investigação. Pelo estado avançado de decomposição, não foi possível apontar inicialmente qual a causa da morte.

Taxista havia mais de 10 anos, e morador da área rural de Crissiumal, Tormes era casado e pai de três filhos. A investigação concluiu que o motorista foi chamado pelo casal para atender uma corrida numa propriedade rural do município, foi morto e teve o veículo, um Virtus prata, roubado. No mesmo dia do crime, o táxi foi visto circulando em Bento Gonçalves e também em Porto Alegre, segundo a Polícia Civil.

O mesmo casal já era procurado pelo homicídio de Antônio Vilmar Moraes, 52 anos, em Bento Gonçalves, na Serra. O homem desapareceu em 11 de março e foi encontrado morto a tiros dois dias depois.

Conforme o delegado Renato Nobre, o crime teria sido motivado por um desentendimento entre Sheila e a vítima, de quem era companheira. Nesse período, a mulher já estaria se relacionando com Martielo. A polícia acredita que o casal tenha fugido para o Noroeste após este crime.

Contraponto  

Quando ouvidos pela polícia, os dois optaram por permanecer em silêncio. GZH entrou em contato com o advogado que orientou Sheila a permanecer em silêncio durante o depoimento. O profissional, que pediu para ter o nome preservado, informou que não teve acesso aos autos e que ainda não foi constituído como responsável pela defesa. Martielo não apresentou advogado no momento da prisão.

GZH entrou em contato com a Defensoria Pública, que informou que no momento não está representando nenhum dos dois nestes casos, embora Martielo seja atendido em outros processos.

Sobre o homicídio na Serra, a 1ª Vara Criminal de Bento Gonçalves informou que ainda não houve oferecimento de denúncia e os investigados não haviam constituído defensor até esta terça-feira (19).

Receba as notícias do Site OBSERVADOR REGIONAL no seu celular: CLIQUE AQUI e faça parte do nosso grupo de WhatsApp.

Fonte: GZH

Foto: Polícia Civil / Divulgação

Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on telegram
ABC_OK-300x266
viatec-300x266
Benhur_BannerSite-300x266
brigada-300x267
lojaswagner_ok-300x266
Roque_2021-300x266
sicredi_ok-300x266
Site_392x442
PartiuSicoob_BannerSite_300x266px
WhatsAppImage2022-01-27at090302
BANNERSANTAINESNOVO
OBAOK
278875877_5073530309371253_7577404801244216723_n
WhatsApp Image 2022-05-12 at 09.02.05

MAIS LIDAS

SELLNET-300x158
zanella
farmsantinesnova