Instituto Méderi de Pesquisa identifica anticorpo que diminui em 70% nível de hospitalização por covid-19

Pesquisas sobre a covid-19 estão em andamento em Passo Fundo. São pesquisas importantes para entender e enfrentar melhor a pandemia, que acontecem aqui no município. Conforme a médica Diretora Executiva do Instituto Méderi de Pesquisa e Saúde, Keyla Liliana Alves de Lima Deucher, o Instituto Méderi foi aberto no ano passado, justamente em função da pandemia e poder oferecer um tratamento mais seguro fora do ambiente hospitalar para as pessoas que não estavam com coronavírus.

Ao longo do ano, pesquisas relacionadas a pandemia também entraram no radar do Instituto, em Passo Fundo. De acordo com a médica, o estudo proporciona o acesso a saúde pelo voluntário. Keyla relata a importância de entender o funcionamento de uma pesquisa clínica e informar a população que existe essa forma de acessar serviços de saúde, por meio de estudos.

A diretora revelou um estudo conduzido em Passo Fundo, para a covid-19, com anticorpo monoclonal. Após a condução desse estudo, o anticorpo foi aprovado pelo FG, uma espécie de Anvisa dos Estados Unidos, para uso emergencial no tratamento da covid. Esse anticorpo diminuiu em 70% o nível de hospitalização e o índice de morte. Keyla revela que passo-fundenses foram tratados com esse método, através da pesquisa clínica.

De acordo com a médica, uma nova sequência de estudos inicia neste mês de julho e voluntários podem participar e receber o tratamento. O Instituto Méderi é independente de qualquer instituição de saúde, mas trabalha em Passo Fundo em parceria com a Pronto Clínica e Hospital São Vicente de Paulo. A médica explica que uma equipe médica do Instituto avalia o paciente voluntário e faz o convite para saber se o internado tem o interesse de participar do estudo. A participação é sempre voluntária.

Geralmente o tratamento é realizado da seguinte forma: o paciente ou recebe uma única aplicação de injeção ou um tratamento oral. A forma varia de acordo com a pesquisa e com o quadro do doente. O próximo estudo conduzido pelo Instituto vai focar em pacientes do sexo masculino, pois identificou-se que uma questão hormonal pode fazer com que casos de covid em homens sejam mais graves.

Receba as notícias do Site OBSERVADOR REGIONAL no seu celular: CLIQUE AQUI e faça parte do nosso grupo de WhatsApp

Fonte: Rádio Uirapuru

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on telegram
Slider

MAIS LIDAS

Slider