Lua dos Cervos e passagem de cometa poderão ser observados no céu nesta semana

José J. Chambó / cometografia.es / Divulgação
ABC_OK-300x266
viatec-300x266
Benhur_BannerSite-300x266
WhatsApp Image 2022-07-15 at 09.14.17
lojaswagner_ok-300x266
Roque_2021-300x266
sicredi_ok-300x266
Site_392x442
PartiuSicoob_BannerSite_300x266px
WhatsAppImage2022-01-27at090302
BANNERSANTAINESNOVO
mart
BANER SITE OBSERVADOR 67
1
2

O mês de julho começou com a Terra alcançando o ponto de órbita em que esteve o mais distante possível do Sol este ano. Chamado de afélio, o evento astronômico foi o primeiro de uma série de fenômenos que ainda irão acontecer em julho. Superlua, passagem de um cometa e chuva de meteoros poderão ser acompanhados nas próximas semanas.

Nesta quarta-feira (13), a Buck Moon, ou Lua dos Cervos, poderá ser observada no céu. Esta é a terceira Superlua do ano. O nome está relacionado ao ciclo de crescimento anual dos chifres de cervos machos, que tipicamente caem em janeiro ou fevereiro e atingem o ápice do crescimento em julho, para quem possam estar totalmente formados durante a temporada de acasalamento, que vai de setembro a dezembro.

A Superlua caracteriza-se por um satélite visivelmente maior e mais brilhante do que o comum. Isso acontece durante a fase cheia, próxima do perigeu, nome dado à posição mais próxima que a Lua chega da Terra. Espera-se que desta vez seja a maior do ano. A previsão é de que começará a ficar visível a partir das 15h38min. Conforme a Climatempo, o Rio Grande do Sul não terá boa visibilidade: a previsão é de instabilidade em todo o Estado.

No dia seguinte, na quinta-feira (14), o cometa C/2017 K2 (PanSTARRS), abreviado de cometa K2, fará sua maior aproximação da Terra. De acordo com a Nasa, esse cometa foi inicialmente descoberto em maio de 2017, e foi, na época, o cometa ativo mais distante já encontrado, descoberto quando estava a cerca de 2,4 bilhões de quilômetros do Sol.

A agência espacial também afirma que órbita do cometa indica que ele veio da Nuvem de Oort, uma região esférica com quase um ano-luz de diâmetro e que se acredita conter centenas de bilhões de cometas. O fenômeno deve iluminar a magnitude sete ou oito, ainda muito fraca para o olho nu. Por isso é preciso um telescópio para apreciar a passagem.

Receba as notícias do Site OBSERVADOR REGIONAL no seu celular: CLIQUE AQUI e faça parte do nosso grupo de WhatsApp

 

Delta Aquáridas
Julho reserva ainda a Delta Aquáridas Austrais, uma chuva de meteoros que poderá ser observada da última semana do mês até meados de agosto. Durante o fenômeno, será possível observar os rastros deixados pelos agrupamentos de cometas Marsden e Kracht. O evento poderá começar entre 12 e 14 de julho, e atingir o ápice nos dias 28 a 29. Não há restrições de observação para o Brasil; moradores de todas as regiões poderão observar o show de luzes no céu noturno.

Receba as notícias do Site OBSERVADOR REGIONAL no seu celular: CLIQUE AQUI e faça parte do nosso grupo de WhatsApp

 

Fonte: GZH

Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on telegram
ABC_OK-300x266
viatec-300x266
Benhur_BannerSite-300x266
WhatsApp Image 2022-07-15 at 09.14.17
lojaswagner_ok-300x266
Roque_2021-300x266
sicredi_ok-300x266
Site_392x442
PartiuSicoob_BannerSite_300x266px
WhatsAppImage2022-01-27at090302
BANNERSANTAINESNOVO
mart
BANER SITE OBSERVADOR 67
1
2

MAIS LIDAS

Sorry. No data so far.

SELLNET-300x158
zanella
farmsantinesnova
Roque_2021-300x266-1-seo