Mãe confessa à polícia que matou filha com chutes e socos em Santa Catarina

ABC_OK-300x266
viatec-300x266
Benhur_BannerSite-300x266
brigada-300x267
lojaswagner_ok-300x266
Roque_2021-300x266
sicredi_ok-300x266
Site_392x442
PartiuSicoob_BannerSite_300x266px
WhatsAppImage2022-01-27at090302
BANNERSANTAINESNOVO
OBAOK
278875877_5073530309371253_7577404801244216723_n
WhatsApp Image 2022-05-12 at 09.02.05

A mãe de uma menina de 11 anos confessou, no sábado (16), em novo depoimento prestado à polícia, que matou a filha porque a criança teria se tornado “sexualmente ativa”. O caso aconteceu em Timbó, no Vale do Itajaí, em Santa Catarina, na quinta-feira (14), quando as autoridades encontraram o corpo da vítima em sua própria casa, com sinais de violência pelo corpo. As informações são do G1.

Segundo as autoridades, a mãe e o padrasto foram chamados para depor novamente após a conclusão de laudos médicos e técnicos que apontavam contradições entre os tipos de ferimentos encontrados no corpo da criança e os relatos apresentados pelo casal. De acordo com o laudo da necropsia, a menina tinha diversas lesões pelo corpo.

Inicialmente, o casal havia relatado à polícia que a criança caiu de uma escada após tentar resgatar um gato, mas que seguiu bem e continuou realizando as atividades normalmente. Os suspeitos ainda afirmaram que à meia-noite a menina teria passado mal e, com isso, eles acabaram chamando os bombeiros. A criança chegou a ser encaminhada ao Hospital Ordem Auxiliadora das Senhoras Evangélicas (OASE), mas chegou sem vida à unidade de saúde.

O laudo da necropsia descartou a possibilidade de os ferimentos terem sido ocasionados pela queda na escada. Além disso, havia lesões internas no crânio, baço, pulmão, intestino e laceração vaginal. No rosto da menina também tinham ferimentos.

A perícia foi até o local do crime e constatou a presença de marcas de sangue nas proximidades do quarto da criança, no sofá, em uma toalha, em uma fronha e até em uma calça masculina.

Conforme a polícia, quando o casal foi chamado para prestar o segundo depoimento, foram apresentadas as contradições entre a versão anteriormente apresentada por eles e as provas reunidas. Apesar da mulher ter confessado o crime, o padrasto da vítima, que havia sido apontado anteriormente pela polícia militar como suspeito, mas negado a autoria do homicídio, ficou em silêncio durante todo processo.

Segundo nota divulgada pela corporação, o casal foi preso de forma preventiva e a investigação segue em andamento.

Receba as notícias do Site OBSERVADOR REGIONAL no seu celular: CLIQUE AQUI e faça parte do nosso grupo de WhatsApp

Fonte: GZH

Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on telegram
ABC_OK-300x266
viatec-300x266
Benhur_BannerSite-300x266
brigada-300x267
lojaswagner_ok-300x266
Roque_2021-300x266
sicredi_ok-300x266
Site_392x442
PartiuSicoob_BannerSite_300x266px
WhatsAppImage2022-01-27at090302
BANNERSANTAINESNOVO
OBAOK
278875877_5073530309371253_7577404801244216723_n
WhatsApp Image 2022-05-12 at 09.02.05

MAIS LIDAS

SELLNET-300x158
zanella
farmsantinesnova