Ministério da Saúde divulga normas da vacinação da Covid-19 em pessoas com comorbidades

Autor: Gustavo Mansur/ Palácio Piratini

O Ministério da Saúde publicou uma nota técnica com as diretrizes da vacinação da Covid-19 para o grupo das comorbidades, o próximo a ser contemplado pelo Plano Nacional de Imunizações. As comorbidades são pessoas que têm alguma doença ou agravo prévio, tornando-as mais vulneráveis às complicações da doença.

No Rio Grande do Sul, há mais de um milhão de pessoas no grupo das comorbidades. Como a vacinação ocorre em etapas, dependendo das remessas enviadas pelo Ministério da Saúde aos Estados conforme produção dos laboratórios, a priorização da vacinação acontecerá, em todo o país, da seguinte forma:

Fase 1 serão vacinadas:

– as pessoas com síndrome de down maiores de 18 anos;

– pessoas com doenças renais que fazem tratamento por diálise maiores de 18 anos;

– gestante e puérperas (passaram há menos de 45 dias pelo parto) e têm alguma comorbidade, maiores de 18 anos;

– pessoas com 55 a 59 anos com comorbidades;

– pessoas com deficiência permanente cadastradas no programa de Benefício de Prestação Continuada (BPC) de 55 a 59 anos.

Na fase 2, será aberta a vacinação para demais pessoas com comorbidades, pessoas com deficiência permanente cadastradas no BPC e gestantes e puérperas independentemente de condições pré-existentes e divididas por idade, assim como ocorre no grupo dos idosos. Após completar a faixa das pessoas de 55 a 59 anos, inicia-se a aplicação nas pessoas com 50 a 54 anos, depois 45 a 49 anos e assim por diante, até os 18 anos.

De acordo com a secretária da Saúde, Arita Bergmann, municípios que já concluíram a vacinação dos idosos e que já realizaram busca ativa por faltantes poderão avançar a campanha e iniciar a vacinação das pessoas com comorbidade da fase 1.

A diretora do Departamento de Atenção Primária e Políticas de Saúde, Ana Costa, ressalta que “certamente não receberemos doses suficientes para vacinar todas as pessoas da fase 1 de uma vez, então, mesmo dentro da priorização elencada pelo Ministério, a vacinação ocorre conforme a chegada das vacinas ao Estado. Em maio, esperamos iniciar essa etapa em todo o território gaúcho”.

De modo geral, a maioria dos municípios estão na fase de vacinar idosos com 61 anos ou mais, dependendo do ritmo da campanha em cada lugar. Para comprovar a doença, a pessoa deverá levar ao posto de saúde um documento médico (exames, receitas, relatório médico, prescrição médica etc).

Receba as notícias do Site OBSERVADOR REGIONAL no seu celular: CLIQUE AQUI e faça parte do nosso grupo de WhatsApp.

Veja a lista de comorbidades e especificações:

imagem comorbidades
– – Foto: Reprodução

Veja aqui a nota técnica do Ministério da Saúde.

Fonte: Secretaria da Saúde do Estado do Rio Grande do Sul
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on telegram
Slider

MAIS LIDAS

Slider

VÍDEOS

Mais notícias

Brigada Militar prende segundo indivíduo envolvido em roubo ocorrido em Frederico Westphalen
Na tarde desta segunda-feira (10/5), policiais militares do 37º...
Pneus se desprendem de carreta e atingem casa em Santa Catarina
O fato ocorreu às 11h desta segunda-feira, 10, na...
Acidente envolvendo moto e veículo no centro de Santa Rosa
No início da tarde de segunda-feira (10/05), ocorreu um...
Novo lote de vacinas da CoronaVac: Confira quantas doses cada município da Região Celeiro vai receber
Começa a ser distribuído, nesta segunda-feira (10), mais um...
Redentora: Administração Municipal vacina pessoas com comorbidades contra a Covid-19
A Administração Municipal, através da Secretaria Municipal de Saúde...