Mulher agredida pelo namorado pede socorro escrevendo em prontuário de posto de saúde: ‘SOS Ajuda’

Durante atendimento, mulher aproveitou distração de namorado para pedir ajuda a enfermeira — Foto: Divulgação/Secretaria de Saúde de Cidreira

Uma mulher, de 42 anos, fingiu estar passando mal e pediu socorro no posto de saúde, escrevendo “SOS Ajuda” no prontuário médico, em Cidreira, no Litoral Norte do Rio grande do Sul. De acordo com a Polícia Civil, ela sofreu agressões, por 15 dias, e era mantida em cárcere privado pelo namorado, de 38 anos.

A enfermeira que a atendia acionou a Brigada Militar e o agressor foi preso em flagrante.

O caso aconteceu por volta das 19h de segunda-feira (15). Segundo o delegado Alexandre Souza, a mulher relatou ser vítima de violências desde o início do relacionamento, em agosto do ano passado.

“Ele é agressivo, ameaçava ela e a família. Há cerca de 15 dias, se mudaram para Cidreira, e durante esses 15 dias o autor manteve a vítima em cárcere privado. Quando saía, levava as chaves. Batia nela diariamente, mantinha relação sexual forçada, humilhava psicologicamente”, resume o delegado.

A mulher não conseguia denunciá-lo porque, sempre que ela falava com familiares pelo celular, ele ficava ao lado dela. “Ele mantinha pressão psicológica, além de física e sexual”, detalha o delegado.

Na segunda-feira, a mulher simulou que estava passando mal e foi levada pelo agressor ao posto 24 horas da cidade. Segundo o delegado, o homem ficou ao lado dela durante todo o atendimento. Em um momento de distração, ela conseguiu pedir a ajuda escrevendo a mensagem para a enfermeira.

“Louvável a participação pró-ativa da vítima, que simulou que estava passando mal”, afirma o delegado.

O homem foi preso em flagrante pelo cárcere privado, e já teve a prisão preventiva decretada. Ele será investigado pelas acusações de agressões e estupro. A mulher tem lesões nos braços e nas pernas.

“Vamos ouvir os dois de novo, encaminhar ela pra exame de violência sexual, pra ver se compatível com estupro e ouvir as testemunhas”.

‘Três páginas de ficha policial’

Segundo o delegado, a mulher nunca havia registrado boletim de ocorrência contra o agressor. Porém, ele possui longo histórico de crimes.

“Ele tem uma ficha de três páginas. É um sujeito altamente agressivo. Desde 2002 já tem ocorrências de Maria da Penha”, diz. O homem também respondeu por crimes como tráfico.

“Ele dizia que tinha arma e ameaçava os filhos dela [de outro relacionamento]. Quando a espancava, botava som alto pra ninguém ouvir, falava que sabia onde bater para não deixar marcas”, aponta.

Para denunciar casos de violência à mulher, o número é 180.

Fonte: G1
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on telegram

MAIS LIDAS

VÍDEOS

Mais notícias

Motorista é flagrado transportando três bezerros dentro de Celta em SC
Um motorista foi flagrado ao transportar três bezerros dentro...
Acidente com morte é registrado na BR 158 em Júlio de Castilhos
Por volta das 05h45 desta terça-feira (20), no km...
Polícia Civil cumpre mandado de busca e apreensão no Noroeste do RS
A Polícia Civil através da Delegacia de Polícia de...
Mãe e dois filhos menores são mortos em incêndio criminoso em Santa Maria
Três pessoas morreram em um incêndio criminoso na madrugada...
Confira Vídeo – Carreta esmaga carro na BR-316; família inteira morreu
Cinco pessoas morreram no acidente: uma professora, o marido,...