PREFEITO DE BRAGA PARTICIPA DE REUNIÃO DA COMISSÃO DE SAÚDE NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA - Observador Regional

PREFEITO DE BRAGA PARTICIPA DE REUNIÃO DA COMISSÃO DE SAÚDE NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

PREFEITO DE BRAGA PARTICIPA DE REUNIÃO DA COMISSÃO DE SAÚDE NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

Política - Postada em: 16/05/2018 às 18:23:00

PREFEITO DE BRAGA PARTICIPA DE REUNIÃO DA COMISSÃO DE SAÚDE NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Foto de capa: Guerreiro/ALRS - Demais Ascom/Prefeitura Braga
PREFEITO DE BRAGA PARTICIPA DE REUNIÃO DA COMISSÃO DE SAÚDE NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Foto de capa: Guerreiro/ALRS - Demais Ascom/Prefeitura Braga

Prefeitos que integram a comissão criada pela Famurs para tratar sobre os Hospitais de Pequeno Porte (HPPs) participaram de reunião na Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Assembleia Legislativa, nesta quarta-feira (16/5).

Na ocasião, foi criado um Grupo de Trabalho (GT), formado por deputados, prefeitos e Famurs, para elaborar legislação de regulamentação dos HPPs. Também foi exposta a necessidade de alteração da Portaria 64/2018, da Secretaria de Estado da Saúde, que transforma os HPPs em Pronto Atendimento de Urgência (Padu).

Conforme o assessor técnico da Famurs na área da Saúde, Paulo Azeredo Filho, que representou o presidente da entidade, Salmo Dias de Oliveira, são transportados mais de 1,5 milhão de pessoas por ano para os grandes centros e a demanda reprimida de consultas, exames e cirurgias é superior a 700 mil pacientes/ano, que ainda aguardam atendimento. “Descentralizar os serviços utilizando os Hospitais de Pequeno Porte é a solução para humanizar o atendimento”, reafirmou.

Durante a reunião, os prefeitos de Braga, Carlos Alberto Vigne, de Chiapetta, Eder Luis Both, e de Inhacorá, Everaldo Bueno Rolim, se posicionaram contrários ao fechamento dos HPPs e solicitaram alterações de portarias e resoluções que afetam a manutenção dos hospitais no interior do Estado.

No dia 7 de junho será realizado um encontro no auditório da Famurs para debater o assunto, com a presença de presidentes de hospitais, secretários municipais de saúde, prefeitos e entidades representativas da área da Saúde. O posicionamento estabelecido pelas lideranças será levado ao governo do Estado. O presidente da Famurs entende que a situação merece sensibilidade por parte do Piratini para buscar uma discussão mais profunda e específica para cada região. “É fundamental que sejam consideradas as situações econômicas, sociais e de humanização no atendimento”, salientou Salmo.

Fonte: FAMURS