CASO BERNARDO: MADRASTA E AMIGA INOCENTAM PAI E VEREDITO DO CASO DEVE SAIR HOJE (15) - Observador Regional

CASO BERNARDO: MADRASTA E AMIGA INOCENTAM PAI E VEREDITO DO CASO DEVE SAIR HOJE (15)

CASO BERNARDO: MADRASTA E AMIGA INOCENTAM PAI E VEREDITO DO CASO DEVE SAIR HOJE (15)

Região Celeiro - Postada em: 15/03/2019 às 07:55:00

CASO BERNARDO: MADRASTA E AMIGA INOCENTAM PAI E VEREDITO DO CASO DEVE SAIR HOJE (15) Créditos: Cissa Battistella/Rádio Uirapuru
CASO BERNARDO: MADRASTA E AMIGA INOCENTAM PAI E VEREDITO DO CASO DEVE SAIR HOJE (15) Créditos: Cissa Battistella/Rádio Uirapuru

Ontem (14) aconteceram os últimos depoimentos dos réus envolvidos na morte do menino Bernardo. Falaram a madrasta Graciele Ugulini, a amiga Edelvânia Wirganovicz e o irmão Evandro Wirganovicz. Graciele foi a primeira a depor e reiterou que não teve intenção de matar Bernardo e que o pai é inocente. Falou ainda que durante a ida para Frederico Westphalen deu um remédio para enjoo para Bernardo.

A madrasta afirmou que Bernardo ficou agitado na viagem e lhe deu ritalina. Como a agitação continuou, jogou a bolsa para trás e o mandou tomar mais remédio. Foi aí que acontece a alta dosagem, de acordo com a ré. A segunda a falar foi Edelvânia, que assumiu que foi ela quem abriu a cova para enterrar Bernardo, inocentando o irmão. Inocentou também o pai, Leandro Boldrini.

Disse que jamais faria mal a uma criança e nunca imaginou estar envolvida em um crime como esse. O terceiro réu a se manifestar foi Evandro, Muito emocionado, o motorista acusou a irmã de ter acabado com a família e com a vida deles. Ele afirmou veemente que não teve participação alguma com a morte de Bernardo. Disse que, depois que soube do envolvimento da irmã com o caso, através das notícias, ficou com medo de ser incriminado. A Rádio Uirapuru está em Três Passos acompanhando o caso e ontem antes de entrar no Tribunal do Júri, o advogado de defesa da madrasta, Vanderlei Pompeu de Mattos, disse que ela apresentaria a versão para os jurados.

Vanderlei confirmou que ela é a ré confessa, porém não como a justiça aponta. Pompeu de Mattos criticou também o aparato estatal usado contra ela, disse que em 30 anos de advogacia criminal nunca viu um júri com três promotores tão agressivos. Defendeu ainda que nunca houve recompensa para Edelvânia ajudar no crime. Questionou onde está o clamor público pelo caso, já que o Fórum não esteve lotado em nenhum dia e classificou o Júri como “espetáculo”.

Após todas as testemunhas e os réus se manifestarem, foi dado início aos debates entre acusação e defesa. A expectativa é que o veredito para os quatro réus seja anunciado hoje.

"

Fonte: Rádio Uirapuru