Peste suína exige cuidados redobrados dos produtores no Estado

Slider

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) e outras 21 organizações nacionais de 18 países da América Latina realizaram nesta semana, de forma virtual, a instalação de um comitê continental para debater estratégias de prevenção à Peste Suína Africana no Brasil.  O Rio Grande do Sul tem uma significativa produção de suínos e a alta nos preços da carne de gado criou um cenário de alto consumo deste alimento.

A notícia de que casos da peste suína foram confirmados na América trouxe preocupação no setor. A Uirapuru conversou com a diretora técnica da ABPA, Sula Alves, que também é a porta-voz da entidade.  Sula explicou que a peste suína não traz problemas de saúde para o homem, para quem comer a carne.  Os prejuízos são diretos para a criação dos porcos, com alta taxa de contaminação e morte destes animais. Sula explicou que neste momento está sendo feito um trabalho de orientação aos produtores.

É preciso que o local de criação dos porcos fique isolado, sem empréstimo de utensílios entre propriedades, para barrar a contaminação.  Outro vetor de transmissão é o porco javaporco ou o javali. As propriedades precisam ficar isoladas destes animais.

Receba as notícias do Site OBSERVADOR REGIONAL no seu celular: CLIQUE AQUI e faça parte do nosso grupo de WhatsApp

Por 

Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on telegram
Slider

MAIS LIDAS

Slider