TCE/RS aponta mais de 12 mil servidores públicos que teriam recebido auxilio emergencial

Documentação foi encaminhada ao TCU e CGU - Foto: Divulgação
Brigada Militar
Quero-Quero
Advogado Benhur Aurélio Formentini Nunes
ABC NOVO
SICREDI NOVO
WAGNER NOVO

O trabalho realizado por auditores do Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul (TCE-RS) detectou indícios de possíveis irregularidades no recebimento do auxílio emergencial por agentes públicos, ativos, inativos e pensionistas, vinculados a órgãos estaduais e municipais no Rio Grande do Sul.

Foram encontrados 12.957 casos com possíveis irregularidades, sendo 3.024 da esfera estadual e 9.933 da esfera municipal. Inativos e pensionistas representam, aproximadamente, 89% dos casos na esfera estadual e 32% na esfera municipal. Ainda em relação aos Municípios, os estagiários representam, aproximadamente, 24% dos casos.

Os dados

A soma dos valores pagos com indícios de irregularidades importa em, aproximadamente, R$ 9, 1 milhões. Os resultados foram obtidos com o cruzamento dos dados das folhas de pagamento dos Municípios e das folhas de pagamento da esfera estadual, com os dados disponibilizados pela CGU, obtidos a partir do seu Portal de Transparência, relativos à Primeira Parcela de Pagamentos do Auxílio Emergencial.

 estudo, que examinou os recebimentos do benefício instituído pela Lei Federal nº 13.982/2020, foi encaminhado ao Tribunal de Contas da União (TCU) e à Controladoria Geral da União (CGU), na sexta-feira, 26, para análise e adoção das providências cabíveis, pois compete aos referidos órgãos de controle do governo federal autuar procedimentos de auditoria que envolvam recursos federais.

O TCE-RS procurou descartar falsos positivos, utilizando-se informações mais recentes das folhas de pagamento. Porém, considerando atrasos nas remessas de dados em função das limitações causadas pela pandemia, é possível que servidores contratados temporariamente e estagiários que não possuem mais vínculo com a administração pública tenham sido contabilizados.

É possível que fraudadores tenham utilizado dados de terceiros e, também que valores tenham sido lançados equivocadamente pela União. Pessoas que tenham recebido o benefício indevidamente podem efetuar a devolução das parcelas recebidas no site do Ministério da Cidadania.

*Com informações Ascom TCE/RS

Receba as notícias do Site OBSERVADOR REGIONAL no seu telefone celular? Clique AQUI e faça parte do nosso grupo de WhatsApp.

Quero-Quero (Pequeno)
Sellnet Telecom
Gráfica Ômega
Zanella
Farmácia Santa Inês

Mais notícias

Camionete tomba após colisão em avenida de Panambi
Por volta das 23h30min da noite deste sábado (05), uma...
VÍDEO: criança cai de carro em movimento no RS
Está circulando nas redes sociais um vídeo que mostra uma criança caindo...
Urgente: Três Passos registra o 4° óbito por Covid-19.
Segundo informações preliminares o município de Três Passos registrou neste...
Coronavírus: China suspende importação de carne suína da JBS de Três Passos
A China suspendeu no sábado, 4, as exportações de mais...
Acidente na BR 468 deixa vítima presa às ferragens
Neste sábado, 4, o Corpo de Bombeiros e o SAMU...