Temperaturas altas, estiagem e chances de neve: veja como deverá ser o tempo no RS em 2022

Foto: Anselmo Cunha / Agencia RBS
ABC_OK-300x266
viatec-300x266
Benhur_BannerSite-300x266
brigada-300x267
infe_ok-300x266
lojaswagner_ok-300x266
Roque_2021-300x266
sicredi_ok-300x266
Site_392x442

Se o tempo em 2021 foi marcado por termômetros acima de 35ºC, neve na serra gaúcha e atuação do La Niña – quando há resfriamento das águas do Oceano Pacífico –, os gaúchos podem se preparar para mais um ano de extremos. O calorão e a estiagem, devido à pouca chuva, devem seguir em 2022.
O verão, o outono e o inverno do próximo ano devem ser marcados pela chuva abaixo da média pelo menos até junho, período em que o La Niña deve se encerrar. Já a partir da primavera, o El Niño – quando as águas do Pacífico ficam mais quentes – pode afetar o RS, com aumento do volume chuva. Entretanto, ainda não há confirmação para o fenômeno, registrado pela última vez em 2015 e 2016.
Para ajudar os gaúchos a se prepararem para o próximo ano, GZH conversou com a meteorologista Ana Clara Marques, da Climatempo, sobre as principais tendências para as quatro estações.

Receba as notícias do Site OBSERVADOR REGIONAL no seu celular: CLIQUE AQUI e faça parte do nosso grupo de WhatsApp

Verão
Mais seco e mais quente do que em 2021, o verão de 2022 terá longos períodos sem a chuva dar as caras pelo Estado, com períodos entre 10 a 15 dias. Por isso, o número de municípios gaúchos atingidos pela estiagem – 49 até o momento – deve aumentar nas próximas semanas.
Os termômetros também devem marcar temperaturas mais altas do que o habitual, especialmente no Interior, podendo chegar a 40°C por vários dias. Já a onda de calor que marca este final de ano no RS deve persistir até a metade da primeira semana de janeiro, segundo previsão da Climatempo.
A umidade relativa do ar deve ficar baixa ao longo de toda a estação, contribuindo para problemas respiratórios. Por isso, é preciso reforçar o protetor solar e a hidratação.

Outono
A estação que começa em 20 de março será mais fria e mais seca do que em 2021, com a chuva permanecendo abaixo da média histórica. O motivo disso é porque a estação ainda estará sob influência da La Niña, destaca a meteorologista.
As primeiras massas de ar frio vão chegar ao Estado já no começo da estação, mas ainda não exigirão roupas quentes. De acordo com o Climatempo, a tendência é de semanas com temperaturas elevadas intercaladas com dias mais amenos.

Inverno
A neve histórica que marcou o inverno de 2021 poderá se repetir em 2022. Os modelos meteorológicos já preveem fortes massas de ar frio passando pelo Estado duranta a estação, e elas podem provocar o fenômeno novamente.
Considerado o período mais chuvoso do ano, devido à frequência de frentes frias, o inverno do próximo ano deve ser mais seco, acentuando a estiagem. A estação deve continuar com menos chuva do que a média histórica.

Mesmo que o La Niña termine em meados do outono, seus efeitos ainda serão sentidos por um período de um a três meses aqui no Brasil. É por isso que o inverno ainda deve começar seco, com pouca chuva, podendo aumentar as precipitações ao longo dos meses e ganhando mais volume somente no final do inverno.

Primavera
Se dias de inverno poderão ser sentidos já no outono, o mesmo acontecerá com a primavera que antecipará o verão. O calor retorna ainda no início da estação, que terá temperaturas altas, acima da média, assim como em 2021.
Como a La Niña termina no outono, não deve afetar a primavera. Por isso, a expectativa é que a chuva retorne de forma mais regular para a região, com mais chuva que nos meses anteriores. Assim, os acumulados de chuva devem ficar um pouco acima da média.

El Niño
De acordo com a meteorologista, a tendência geral indica um evento de El Niño a partir da próxima primavera. O fenômeno é caracterizado por um aquecimento acima do normal das águas do oceano Pacífico Equatorial. Com as águas aquecidas, grandes mudanças nos padrões normais de vento e de pressão da circulação geral da atmosfera, em vários níveis de altitude, podem acontecer, gerando alteração no padrão climático de chuva e de temperatura. Na região Sul, o El Niño tem como feito o aumento da chuva.

 

Receba as notícias do Site OBSERVADOR REGIONAL no seu celular: CLIQUE AQUI e faça parte do nosso grupo de WhatsApp

Fonte: Gaúzha ZH

Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on telegram
ABC_OK-300x266
viatec-300x266
Benhur_BannerSite-300x266
brigada-300x267
infe_ok-300x266
lojaswagner_ok-300x266
Roque_2021-300x266
sicredi_ok-300x266
Site_392x442
PartiuSicoob_BannerSite_300x266px

MAIS LIDAS

SELLNET-300x158
graficaomegaok
zanella
farmsantinesnova