Terra sem Lei: reserva indígena contará com segurança da Força Nacional

Créditos: Rádio Uirapuru
ABC_OK-300x266
viatec-300x266
Benhur_BannerSite-300x266
WhatsApp Image 2022-07-15 at 09.14.17
lojaswagner_ok-300x266
Roque_2021-300x266
sicredi_ok-300x266
Site_392x442
PartiuSicoob_BannerSite_300x266px
WhatsAppImage2022-01-27at090302
BANNERSANTAINESNOVO
durstok
mart
BANER SITE OBSERVADOR FEIRA
BANER SITE OBSERVADOR 67
1
2

A Força Nacional de Segurança Pública vai atuar, em apoio à Polícia Federal, na Terra Indígena Votouro, em Benjamin Constant do Sul. A medida está prevista em portaria do Ministério da Justiça e Segurança Pública, publicada no Diário Oficial da União.

Os militares vão atuar por 90 dias, que começaram contar a partir de ontem, quarta-feira,13, nas atividades e nos serviços de preservação da ordem pública e na segurança das pessoas e do patrimônio, em caráter episódico e planejado.

O contingente a ser disponibilizado obedecerá ao planejamento definido pela Diretoria da Força Nacional de Segurança Pública, da Secretaria Nacional de Segurança Pública, do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Receba as notícias do Site OBSERVADOR REGIONAL no seu celular: CLIQUE AQUIe faça parte do nosso grupo de WhatsApp

SOBRE O CASO

Em agosto de 2018 a Polícia Federal, Brigada Militar e Exército Brasileiro deflagram a Operação Terra Sem Lei, em uma ação conjunta para cumprir 14 mandados de prisão preventiva e 18 de busca e apreensão na Reserva do Votouro, em Benjamim Constant do Sul, distante cerca de 130 km de Passo Fundo.

As investigações iniciaram em março daquele ano, a partir do homicídio de um indígena, dentro da reserva. Posteriormente, em maio, o sobrinho do prefeito de Benjamin Constant do Sul foi morto na região, e o próprio prefeito foi mantido em cárcere privado e torturado, fatos que também passaram a ser objetos de inquérito da Polícia Federal.

Os crimes investigados na Operação Terra Sem Lei eram homicídio, tentativa de homicídio, incêndio criminoso, rixa qualificada, organização criminosa, cárcere privado e tortura.

 

O JULGAMENTO

Em outubro de 2021, o Auditório da IMED de Passo Fundo foi palco do julgamento do caso, envolvendo o jovem que foi assassinado. Na época, um indígena foi condenado a três anos e quatro meses de prisão e outro homem condenado a dois anos de reclusão por porte ilegal de arma de fogo.

 

Receba as notícias do Site OBSERVADOR REGIONAL no seu celular: CLIQUE AQUI e faça parte do nosso grupo de WhatsApp

 

 

 

Fonte: Rádio Uirapuru

Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on telegram
ABC_OK-300x266
viatec-300x266
Benhur_BannerSite-300x266
WhatsApp Image 2022-07-15 at 09.14.17
lojaswagner_ok-300x266
Roque_2021-300x266
sicredi_ok-300x266
Site_392x442
PartiuSicoob_BannerSite_300x266px
WhatsAppImage2022-01-27at090302
BANNERSANTAINESNOVO
durstok
mart
BANER SITE OBSERVADOR 67
BANER SITE OBSERVADOR FEIRA
1
2

MAIS LIDAS

Sorry. No data so far.

SELLNET-300x158
zanella
farmsantinesnova
Roque_2021-300x266-1-seo