Não-Me-Toque é o município com o nome mais curioso do Brasil

Alguém que resolver sair de Chuí, no Rio Grande do Sul, para seguir até Uiramutã, o município mais ao Norte do Brasil, em Roraima, vai percorrer exatos 5.986 quilômetros por rodovias brasileiras.

Já aquele que partir do extremo Leste, em João Pessoa, na Paraíba, com rumo ao município mais ocidental do País, Mâncio Lima, que fica no Acre, também vai precisar de paciência e muitas horas de estrada. São 5.400 quilômetros.

As duas viagens retratam a imensidão de um País continental, com diversidade de culturas, costumes e municípios. São 5.570 cidades espalhadas por 8,5 milhões de quilômetros quadrados.

E cada município precisa de um nome, de preferência sem repetir o mesmo de outro já existente, conforme manda a lei. Aí é que entra uma das maiores riquezas brasileiras: a criatividade para dar nome a este mundo de lugares. Não sobram curiosidades.

Por isso, promovemos, aqui no BemContado, o concurso para escolher o município com o nome mais curioso do Brasil. E chegamos a Não-Me-Toque, no Rio Grande do Sul, depois de duas fases e mais de 50 mil pessoas impactadas em nossas redes sociais.

Na primeira fase foram 40 candidatos. Deles, chegamos a três finalistas.

Na grande final, os não-me-toquenses concorreram com o pessoal de Coité do Nóia, de Alagoas, e de Morro Cabeça no Tempo, que fica no Piauí.

Não-Me-Toque ficou com 53,9% dos votos; Coité do Nóia foi escolhido por 26,1% dos participantes e Morro Cabeça no Tempo por 20%.

Não-Me-Toque é um lugar muito interessante, a 281 quilômetros de Porto Alegre, no Planalto Médio do Rio Grande do Sul. A projeção do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para 2020 indicou 17.758 habitantes no município, que tem uma diversidade de povos europeus em sua história de colonização, sobretudo italianos, alemães e holandeses, e ostenta o título de “capital da agricultura de precisão.”

Mas você deve estar se perguntando a origem do nome. Existem algumas hipóteses, uma delas remetendo ao nome de uma antiga fazenda da região, que se chamava Não-Me-Toque e ficava nas terras do atual município. Contudo, a mais aceita por todos relaciona-se à planta que os cientistas chamam de Dasyphyllum spinescens, ou “árvore não-me-toque”, no linguajar popular.

É um arbusto de tronco curto, recoberto com espinhos que vão de 3 a 5 cm de comprimento, agrupados de três em três ao longo do caule. Os tropeiros que passavam pela região no século 19 estrepavam-se neles e cunharam o nome curioso.

Em uma praça da cidade, uma dessas árvores é preservada como verdadeiro monumento vivo, com placa de identificação e tudo.

Em 1971, resolveram mudar o nome do município. Houve um plebiscito e Não-Me-Toque passou a se chamar Campo Real, em homenagem aos muito trigais da região. Mas o povo não se acostumou. Em 1976, depois de outro plebiscito, Não-Me-Toque voltou ao nome original, para a alegria dos não-me-toquenses e de todos os leitores e espectadores do BemContado, que o elegeram como o município com o nome mais curioso da Brasil. Viva Não-Me-Toque!

Veja mais neste vídeo:

Fonte: Bem COntado – Reportagem por Wilhan Santin

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on telegram
Slider

MAIS LIDAS

Slider